domingo, 15 de abril de 2012

Ao entardecer, o homem de longas barbas brancas
aproximou-se do casulo e murmurou:

"as borboletas apenas têm de cumprir dois mandamentos:
voar durante o dia e sonhar durante as noites !"

e ficou calado, ali, olhando-me em silêncio.


Apenas assenti: "para mim é tudo quanto desejo:
voar e sonhar ... que os ventos me sejam pacíficos !"

O homem parece ter compreendido.
Afastou-se, levantou o bastão e desapareceu.


Acto contínuo, as minhas asas começaram a abrir-se ... *


António Cardoso Pinto

Sem comentários:

Publicar um comentário