sábado, 10 de março de 2012

Rio

Olho o rio,
escuro e bravo,
vejo barcos a navegarem...
para cá e para lá nas suas vagas,
a balançarem com os seus movimentos ondulantes,
salpicando e formando uma espuma...
que se entranha com a areia.
Perto de mim um moinho...
gira as suas pás,
a uma velocidade estonteante.
acompanhando o vento que se faz sentir,
e o sabor dessa maré picada...
as gaivotas andam em terra,
procurando alimento desenfreadamente...
sinal de tempestade que há-de vir.
Ao longe, vejo a luz de um farol
desenhada num céu enevoado...
uma luz trémula,
que ora acende e apaga
como esse rio que corre...

Susana Ferreira

 

Sem comentários:

Publicar um comentário