sexta-feira, 2 de março de 2012

Oscilações

Cabelos pretos ondulando ao vento
E esgares trocistas para os transeuntes....
Está atónito este passageiro no comboio do tempo....
O sol ao levantar-se
iluminou-lhe a vida...
vai recomeçar o caminho debruado da esperança...
Somos o mar ,viandantes da brevidade ...
Mas a carne,com os lábios,seios,peito,da mulher esbelta
atrai-o...
Vamos ao cair do orvalho e
olhando o horizonte,
sacudindo as mágoas....
Somos breves.
Colorida página,gravada
em poema na vida férica e
no tempo....
Ele torna-nos invisíveis...
Somos pequenas partículas,enaltecidas
pelo amor e
na paixão cultivamos a
união com o Universo...
Nesta página há frases e formas-poemas
do teu sofrer e
do encantar o mal
mas na vida
plural
 escrevi o poema
com letras humanizantes...
É o progresso de mim em ti...
O relevar da passagem do vento,
varrendo as
folhas macilentas
do chão,
E o olhar,cúmplice que
faz o dia
no teu abraçar
e em desejar
a claridade
nesta imortalidade....Somos eternos,
vento,sonho,luar,porque
somos sublimes...
Oscilantes .......gostos
Marcantes....gestos de gratidão....

Agostinho Borges de Carvalho
 

Sem comentários:

Publicar um comentário