sábado, 3 de março de 2012

      Dança comigo,


           Dedicado ao meu pai:
Olho-te sempre sorrindo, embora  triste ao reconhecer em ti, as características que o tempo transformou.
Apesar de te ver todos os dias, prefiro fingir não reparar  atentamente, o quanto tens envelhecido nos últimos tempos, Como é possível?...
Vejo-o, como um punhal que se crava no peito!
Por mim, ou para mim, serias eternamente jovem, aquele pai tão cheio de vida, que me pegava pelos braços e me "convidava" a por os meus pés em cima dos dele, para que juntos dançasse-mos aquela valsa...e eras tu e eu , rodopiávamos leves, como se fossemos só nós dois a existir no Mundo...
Claro que a verdade, é que os anos passam,todos envelhecemos e tu próprio quando me olhas , vês não a tua menina, mas alguém que o tempo consumiu .
Continuamos no entanto, detentores de um amor enorme que nos une, serás sempre aquele pai que me ensinou a dançar, que me fez quem sou, aquilo que sou, devo-o a ti.
Falarei sempre de ti da mesma forma, com o mesmo carinho e devoção que só a ti, te concedo.
Envelhece a meu lado, com a cabeça erguida e prepara-te pois agora vamos dançar de novo, só que desta vez, colocas tu os pés por cima dos meus e sairemos numa valsa, com voltas e mais voltas que a vida nos permitir.
Amo-te tanto pai!!
          Lina Pedro

   

Sem comentários:

Publicar um comentário