sábado, 3 de março de 2012

Ainda não morri

VIAGENS COM DOR

Desnudei-me, vesti farda de palhaço
carreguei nos ombros peças de frio aço
ao dançar ao som de marchas militares.
Protegendo ouro resisti a milhares

E arregaçando mangas carreguei aviões
para embarcar sonhos nos porões
aos que partiam esquecendo-se de mim.
Ficou a angústia nas noites sem fim

Voavam para a terra q’ os vira nascer.
_ Boa viagem senhor, até mais ver!
_ Agora parto, um dia talvez regresse!

Mesmo sabendo do que a alma padece
lavei a lágrimas pistas de alcatrão
até ao dia que deixei de sentir o chão

Cito Loio

Sem comentários:

Publicar um comentário