segunda-feira, 7 de maio de 2012

SABES-ME BEM
Sabes-me bem:
Dos gostos, palavras e gestos
E das vontades;
E de como te entram as mãos pelo corpo
(Que por isso te antecipas ao meu tronco)
... Sabes-me como ninguém:
Nos meus lábios, também,
E por saberes como eu sou,
Costumas olhar-me sempre,
A sorrir,
De cabeça inclinada, à espera,
Das palavras não tão doces,
Quanto o doce que me sabes,
Nos olhos que me sabem bem.
Sérgio Lizardo
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário