terça-feira, 8 de maio de 2012

ELEGIA DO TEMPO


Deixo-me cair na cadeira
com olhar ausente
e crepúsculo de há muito.

Penso helenicamente
nos auspicios do tempo
em que ainda havia tempo.

Não colho mar
nem ilhas de esperança.

Convoco alquimistas
sem cadinho nem temperança.

Correm madrugadas de breu.


José Brites Marques Inácio 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário