domingo, 22 de abril de 2012

Tempos idos…


As lembranças reabrem-se,
E acordam as feridas…
Sentem os sonhos do passado…
Sofrem as ilusões, por momentos,
Em delírios abafados, desfraldam-me o peito…
A alma desfalece-me,
Deserta e ansiosa, por outros tempos.
Por instantes, a vida deixa de acontecer…
Desfeita e húmida.
Os sentimentos, que albergava,
Desfalecem… diluem-se, no tempo,
Por entre os dedos em desassossego.
Acorrentada, procuro-me a onde fui feliz…
Mas o tempo envelheceu e ficou longe…olvidei o caminho,
O horizonte…talvez os sonhos cessem e eu esqueça…
Amo em silêncio…rasgo beijos, serenos sem prazo,
Em sopros de vento…separados …
Por uma viagem, por um céu aberto,
Por um suspiro, desviado…perdido no tempo,
Mesmo distante…
Chamo por ti…hoje e constantemente.


Telma Estêvão
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário