domingo, 22 de abril de 2012

PRIMAVERA AO VENTO

Primavera és uma miragem,
com este frio de inverno.
Até dá dó ver a folhagem,
cai como as folhas dum caderno.

Primavera como eu queria,
que fosses quente como outrora.
Mas viraste assim tão fria!
Nos entristeces agora.

A Primavera é paciente,
espera o tempo passar.
Deste Inverno inteligente,
com as andorinhas a chegar.

As minhas árvores vestiram-se,
de folhas e de flores.
E as papoilas nos campos.
Coloriram-se de mil cores.

Floriu ao amanhecer,
lindas flores são aquelas.
Flores que eu vou colher,
são rosas brancas e amarelas.

As rosas colorem o amor,
as vermelhas exalam paixão.
Belas com luz e calor,
um só ramo é sedução.

Joaquim Barbosa
 

Sem comentários:

Publicar um comentário