segunda-feira, 19 de março de 2012

VEM!

“ Pensando nas Açucenas do Jardim – COSMOS.”

Vem!
Não digas - Não!
Vem!
Não digas - é noite!
O Sol acaba de nascer.
Vem!
Não digas - é longe!
A Terra e a Lua, beijam-se.
Vem!
Não digas - é perigoso!
O amor é mais forte.
Vem!
Não digas - é proibido!
O mar é largo e livre.
Vem!
Não digas - é duvidoso!
O nosso desejo é infindo.
Vem!
Não digas - parte sem mim!
A torrente é contrária:
uma força, mais outra força,
são vento bonançoso da primavera,
ninguém o detém:
só padeço e faleço.
Vem!
Ao nosso encontro azul,
Ali,
Na nascente da torrente.
Vem!
Só,
morro a jusante do desejo.
Vem!
Não digas - não:
O Sol morreria;
a vida seria luto.
Vem!
Estou onde sempre estive,
na casa do vento:
esperançadamente, esperando,
mas sei que a vida é –
Finita.
Vem com a brisa matinal -
VEM!  
 andrade da silva
 

Sem comentários:

Publicar um comentário