domingo, 25 de março de 2012

Quero adormecer

Todos os segundos voaram de mim, deambulo por aí, como uma caix...a vazia, entregue ao sabor do tempo...
Caminho nas entrelinhas das palavras por mim rasgadas.
Até até já me esqueci de tudo o que foi errado!
Grito aos céus, quando vejo um arco-íris fabricado com as lágrimas de um sonho errante...talvez, além das fronteiras do medo, exista um milagre adormecido...
Conheces o meu milagre? Não aquele transformado em tulipa negra!
O outro, o que precisa do sonho para infinitamente me perder nas profundezas do meu pensamento...
Quero adormecer num sussurro de encanto saído das nuvens brancas que quase me tocam o rosto, luminosas, qual castiçal da noite, numa valsa tocada até ao amanhecer...com o som das águas do mar a tocar devagarinho fazendo a lua dançar magia…
Sonhei mais do que pude, talvez o que não devia. Os caminhos foram trilhados e as marés fugidias...perduram uns breves traços em cada meu respirar...
Quero adormecer...

Fátima Custódio
 

Sem comentários:

Publicar um comentário