sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012


NEBULA

Caminhos enevoados na manhã clara, onde o sol nasce e o sonho mora...

.enevoou-se a manhã
e os olhos claros de mar e hortelã.
.enevoou-se a sabedoria das flores de Março
e calou-se a voz das aves perdidas.

Surgiram amores de uma névoa de flores,
e flores de trevo,
e flores de amora.

Olhos de olhos que guardam rumores
de tempos antigos
e de flores de romã.

.correram vozes de estórias antigas e de bailarinas sonhadoras no ar das manhãs.
.soubemos dos olhos das garças e dos vôos das asas. soubemos de nós. amanhãs.

Amanhãs que sonhámos e rios onde nadámos sonhos de dias passados e sorridos.
Noites onde encostámos sonhos nas pálpebras silentes. Manhãs despertas e nuas.

Faz de mim a claridade dos teus olhos noturnos e a luz das tuas mãos.Tuas. Ruas.

.as ruas onde caminho são as névoas que desperto nas sombras de mim.

.antes as flores.
.antes os teus olhos.
.antes a realidade das mãos e das noites sem fim.

Susana Duarte


Sem comentários:

Publicar um comentário