terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

ESTAÇÕES DO ANO
ESTAÇÕES DA MINHA VIDA


Sob a luz duma candeia
vivi a minha mocidade.
Só havia a luz do Sol
e da Lua a claridade.

Quando chegava a Primavera
e a neve despia o manto.
Dava lugar às flores
e aos pássaros eufórico canto.
Parecia o despertar
de um inverno adormecido.
Chegavam as andorinhas
tudo fazia sentido.

O Verão feito melodia
a cigarra sua cantora.
Sempre a correr a formiga
operária e professora.

Vinha então o Outono
com as árvores depenando.
Amadureciam as uvas
como é bom ficar lembrando.
Fazia-se então a vindima
enchendo-se assim o lagar.
Trabalho duro e penoso,
mas não valia reclamar.
No Outono a melancolia
pelo chão era só folhagem.
Ir ao campo me entristecia,
mas era só uma passagem.

O Inverno era um fascínio
de um branco ofuscante.
Brilhava a neve e o gelo
quão belo era o semblante.
Cobria a terra e as árvores
enfim, toda a natureza.
O frio que me gelava,
mas não perdia a beleza.

Joaquim Barbosa
 

1 comentário:

  1. O título diz tudo...
    O desenvolvimento, perfeito!
    Parabéns ao autor :)

    ResponderEliminar