terça-feira, 15 de maio de 2012

Espelho

gritei minha imagem para a água
e esculpi nela minha
estética de sentir....
Fiz traços em meu poema
para poder
agir...
O poema é um
meio de felicidade?
è ,sem dúvida,
uma forma de
olhar,
sem menosprezar
a idade....
e contà-la pelos veios
do tronco das àrvores...
Somos a imagem
mais completa
deste espelho da vida....
não necessitamos
de retórica...
a nossa oratória
é a demanda do
Cálice do Graal...
que nos purifique,
nos enobreça....
Somos o espelho da solidão
de criação....
e brincamos com o nosso rosto
esbelto,temperado
pelas cores com que
nos ocultamos....
Pintamos sempre com o viver,
o outro lado de nós-
devaneios e divagações,
doces sensações,
de que a imagem,
é o próprio espelho...
No meu eu,imagem de ti ,
há formas de distracções....
Há o eu-imagem como
contornos do eu-viver....
E de mim,amor,nasce
o espelho de ti....

Agostinho Borges De Carvalho
 

Sem comentários:

Publicar um comentário