quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Refugio-me nas palavras:

refugio-me nas palavras
que deixo caladas no meu
peito
lembras-me o sonho desfeito
queria tanto dizer-tas mas não
encontro o jeito
a luz crepuscular de um luar
coberto por um véu, infiltra-se-me
na alma dorida
cortam os espaços os ais que não consigo
aprisionar,desenho a compasso o teu sorriso
nas estrelas
beijo os teus lábios numa papoila selvagem entre
os campos de trigo dourado no lírio selvagem
na margem do rio
respiro-te no aroma das manhãs perfumadas de tília
adivinho-te o corpo num ondular do vento na onda do
mar que me abraça
quero que saibas agora já amor ausente, que tenho nas
minhas mãos a carta escrita com letra miudinha da cor
dos teus cabelos
vejo-te numa alvéola delicada de uma rosa com os lábios
entreabertos numa manha cheia de sol das mãos escorrendo
luz
queria degustar as tuas lágrimas num cálice de licor doce
sorver-te como respiro reter-te em mim,como o ar que me
enche o peito
neste sonho desfeito por não encontrar o jeito de te dizer amo-te
vivo numa alegria empalidecida, com medo que me digas não~
fico-me nesta doce ilusão
de merecer um lugar no teu coração,refugio-me nas palavras
que deixo caladas em meu peito queria tanto dizer-tas mas não

encontro o jeito

uky..marques:
 

Sem comentários:

Publicar um comentário