segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

E Fructu Arbor Cognoscitur


E hoje desfilam árvores...
Por ruas inquietas
acha-me um perfume
insinuante e acidulado.
Perfectas.
.
Quem pensa que as ruas paradas
não têm vida nem cheiram
(nem por mim olham)
por certo não viram
as folhas de noites aveludadas
que nas janelas leram.
.
Moro numa dessas.
No quintal ao topo
despem-se clareiras
que o pisco revolve
em danças travessas
errante e sem destino.
.
Retomo as copas.
Um desejo carmino
trespassar-me-á
como bafo cálido.
Felino.
.
No breu virão beijos doces
mosto raro e fino aroma.
Bocas de geleia real
vingarão na lua rara que assoma.

José Brites Inácio



Sem comentários:

Publicar um comentário